CECD - CAMPO EXPERIMENTAL DE CALDAS

Endereço: 

Avenida Santa Cruz, 500

             Bairro Santa Cruz Caldas - MG

             CEP: 37780-000

             Caixa Postal: 33 


Gerente

Paulo Henrique Romão

 
E-mail:
cecd@epamig.br

Horário de Funcionamento: 07h às 11h - 12h às 17h

Telefone: (35)3735-1101 / (35)3735-1597

 

Acesso: Belo Horizonte - Caldas

Distância: 463 KM

Localização Geográfica

LINHAS DE PESQUISA

Processamento Agroindustrial: Vitivinicultura (uva e vinho), elaboração de vinhos experimentais.

 

Fruticultura: Produção de mudas de videiras.

SERVIÇOS

Análises Laboratoriais em Uva e Vinho. 

O Campo Experimental de Caldas, referência em pesquisas de cultivo de uva para produção de vinhos de mesa, finos e sucos.

HISTÓRICO

O Campo Experimental de Caldas foi inaugurado no ano de 1936 pessoalmente pelo então Presidente da República, Getúlio Dornelles Vargas. Na ocasião, a unidade experimental pertencia ao Ministério da Agricultura, constituindo-se, naquela época, ao lado das Estações Experimentais de Caxias do Sul no Rio Grande do Sul e Jundiaí em São Paulo, nos primeiros Centros de Pesquisa especializados em Uva e Vinho do Brasil. Sua instalação em Caldas ocorreu por estar, este município, localizado em uma importante região produtora de uvas e vinhos constituída ainda pelos municípios de Andradas e Santa Rita de Caldas. A região abrigava na época milhares dehectares de videira e centenas de adegas, responsáveis em grande parte pelo abastecimento de vinhos no Sudeste do País.

 

 A Estação pertenceu ao Ministério da Agricultura até o ano de 1973, sendo então transferida à EMBRAPA e posteriormente, em 1976, sendo incorporada a EPAMIG que, desde então, desenvolve suas atividades de pesquisa. Em 2005 foi criado na fazenda o Núcleo Tecnológico EPAMIG Uva e Vinho sendo, desde então, o norteador e responsável pelas estratégias de pesquisa em vitivinicultura para o Estado de Minas Gerais com destaque para as regiões: Sul (Caldas, Andradas, Cordislândia e Três
Corações); Centro Oeste (Diamantina); Noroeste (Pirapora, João Pinheiro e Jaíba).

 

 

O Campo Experimental de Caldas possui infraestrutura, constituída por bancos de germoplasmas das principais variedades copa e de porta-enxertos de videira, áreas
experimentais de manejo e condução da videira, unidade de enxertia tipo Omega e produção de mudas, modernos laboratórios de biotecnologia vegetal e de avaliação de qualidade da uva e do vinho, além da única adega enológica experimental presente na região Sudeste do Brasil. O Núcleo, ao longo da última década, vem recebendo recursos que já alcançam a cifra de um milhão de Reais. Estes recursos estão sendo utilizados prioritariamente na modernização e adequação das instalações do Núcleo e são, na sua maioria, provenientes de fundações públicas de apoio a pesquisa, das quais podemos destacar a FAPEMIG, a FINEP, o CNPq e a International Foundation for Science, que apóiam projetos de pesquisa desenvolvidos na unidade e contribuem de forma significativa e sistêmica com as ações do grupo. A unidade possui ainda várias parcerias com a iniciativa privada promovendo o desenvolvimento e transferência de tecnologia para o setor produtivo. Atualmente, o Núcleo possui em seu quadro de pesquisadores, profissionais altamente qualificados, especialistas em importantes áreas da ciência e da tecnologia, tais como ecofisiologia vegetal, enologia, fitotecnia, ciências dos alimentos, genética e biologia molecular de plantas.

 

Recentemente, em dezembro de 2006, a unidade inaugurou um moderno Laboratório de Biotecnologia Vegetal, que esta totalmente equipado para desenvolver pesquisas nas  áreas de micropropagação e melhoramento genético da videira e da oliveira.

 

Mesmo antes de sua criação, o Núcleo Tecnológico EPAMIG Uva e Vinho já era responsável pela geração de conhecimento valioso para o setor vitivinícola mineiro. Como reflexo de sua ação ao longo dos anos, hoje nos deparamos com um crescimento espetacular da vitivinicultura no Estado de Minas Gerais. Em pouco mais de cinco anos, o estado saiu de uma condição inexpressiva na produção de vinhos finos devido à inexistência de parreirais produtores, para um cenário onde já se cultivam mais de 120 mil pés de videira finas e que continua em plena expansão, colocando muito em breve, Minas Gerais entre os estados produtores de vinho fino do Brasil. Tudo isso graças a incansável e persistente ação de pesquisadores, que testam e avaliam os potenciais desta atividade para as condições agroambientais de Minas Gerais. 

Fotografias