CEST - CAMPO EXPERIMENTAL DE SERTÃOZINHO

Endereço: 

Rod. Patos/Presidente Olegário, km 18

             Distrito de Sertãozinho

             Patos de Minas - M.G. - CEP: 38700-000

             Caixa Postal: 135 


Gerente

Gixlane Dimas da Silva

 
E-mail:
cest@epamig.br

Horário de Funcionamento: 07h15 às 11h - 12h às 16h15

Telefone: (34)3821-8699

Acesso:Belo Horizonte - Patos de Minas

Distância: 406 KM

Localização Geográfica

LINHAS DE PESQUISA

Bovinocultura: Sistema de produção de Gado F1 – Gir x Holandês; PGP Gado de Corte, pastagem e nutrição Animal.

 

Grandes culturas: Milho, Arroz, Feijão e Trigo.

SERVIÇOS

Produção e Comercialização de sementes Feijão.

 

PGP – Prova de Ganho de peso gado de corte para criadores de Gado Zebu.

HISTÓRICO

O Campo Experimental de Sertãozinho (CEST) da EPAMIG Oeste, fundado em 1939 pelo governo federal, localizado a 406 Km da capital Belo Horizonte, no município de Patos de Minas,  possui área de 795 hectares. Esta Unidade Experimental passou para a EPAMIG em 1975, em regime de comodato, é referência em pesquisas na região de arroz, feijão trigo e bovinos.

 

Neste Campo Experimental a EPAMIG desenvolve, desde 1998, tecnologias para produção de leite com sustentabilidade econômica e responsabilidade social, por meio do Programa do Gado F1 (meio-sangue Holandês e meio-sangue Zebu). O Programa tem uma produção sustentável de leite e carne a pasto, a partir de tecnologias desenvolvidas pela EPAMIG, aplicáveis às pequenas e médias propriedades. O gado F1 é rentável para o pequeno produtor.  A média da produção de leite por vaca em Minas Gerais é de 1.350 litros por lactação, enquanto a média de produção das vacas F1 no sistema de produção da EPAMIG é de 2.779 litros por lactação.

 

Parte dos trabalhos do Programa de Melhoramento do Feijoeiro, nos últimos 35 anos, vem sendo conduzido no Campo Experimental Sertãozinho em parceria com Universidade Federal de Lavras (UFLA), Embrapa e Universidade Federal de Viçosa (UFV). São inúmeras as realizações do programa com a participação da EPAMIG como a recomendação de 15 novas cultivares nos últimos anos.

 

Em 1976, a EPAMIG iniciou o Programa de Melhoramento de Trigo, sediado em Uberaba, em parceria com a Embrapa e Cooperativa Agropecuária do Alto Paranaíba (Coopadap). A partir de 1995, ocorreu a adesão de outros parceiros de pesquisa e dos Moinhos de Minas Gerais, visando ampliar a área com trigo na região. A EPAMIG, junto com Embrapa e Universidade Federal de Viçosa (UFV), lançaram novas variedades de trigo para o cerrado de Minas Gerais.

 

Nos últimos anos a cultura do trigo avançou mais de 100% no Estado. Dados do IBGE mostram que a área plantada passou de 21,5 mil hectares em 2012 para 55,0 mil hectares em 2014. Para dar suporte técnico aos triticultores, dezenas de experimentos estão sendo conduzidos pela EPAMIG, em parceria com a Embrapa Trigo, nos Campos Experimentais de Itiguapira em Uberaba e Sertãozinho em Patos de Minas.

Fotografias