EPAMIG inicia novo projeto para popularização do cultivo e do consumo de hortaliças PANC

(Viçosa – 5/12/2022) A 5ª Feira com Ciência realizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), no mês de novembro, em Viçosa, marcou o início das ações do projeto “Vitrine Tecnológica e Feira Com Ciência: Promovendo o conhecimento científico e popular sobre as PANC”.

A exposição de Plantas Alimentícias não Convencionais (PANC’s), nos dias 18 e 19 de novembro, contou com a participação de agricultores familiares, moradores, estudantes do Projeto Coletivo Formiga e do grupo Ação na Praça. Na oportunidade, os pesquisadores Maria Regina Miranda de Souza, Cleide Maria Ferreira Pinto e Sérgio Maurício Lopes Donzeles, e os bolsistas de Iniciação Científica Diogo Martins e Patrícia Carolina da Silva, distribuíram mudas e sementes e publicações com orientações de cultivo dessas hortaliças.

A pesquisadora Maria Regina, coordenadora do projeto, destaca que além da divulgação nas feiras livres, o projeto contempla escolas rurais e urbanas, em especial, Escolas de famílias agrícolas da Zona da Mata Mineira. “O consumo das PANC possibilita a diversificação da dieta da população, com consequente melhoria da alimentação, já que essas hortaliças são fontes consideráveis de minerais, vitaminas e proteínas essenciais ao bom funcionamento do organismo. Outro benefício é a combinação entre geração de renda para agricultores familiares e o resgate cultural, possibilitado pelo maior acesso da população a este grupo de plantas”, afirma.

Maria Regina acrescenta que os projetos de divulgação, englobam também a reestruturação do Banco de Hortaliças PANC do Campo Experimental Vale do Piranga, em Oratórios (MG). A proposta é que no próximo ano seja inaugurada no local, uma Vitrine Tecnológica, aberta à visitação ao público, com cerca de 30 espécies de hortaliças PANC´s.

O projeto é financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e conta com a parceria da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Resgate cultural e preservação da biodiversidade

As ações da EPAMIG para o resgate e a multiplicação de hortaliças PANC tiveram início no ano de 2008. Além da Zona da Mata, são desenvolvidas pesquisas nos campos experimentais de Santa Rita, em Prudentes de Morais, e Risoleta Neves, em São João del Rei.

Dentre as espécies estudadas estão: ora-pro-nobis (Pereskia aculeata e Pereskia grandifolia), taioba (Xanthosoma sagittifolium), (Maranta arundinacea), mangarito (Xanthosoma riedelianum), capuchinha (Tropaeolum majus) e outras. Recentemente a Empresa iniciou estudos com a chufa (Cyperus esculentus), tubérculo, que é uma rica fonte de amido, além de fornecer proteínas, fibras, vitaminas E e C e minerais (fósforo, potássio, ferro, cálcio).

De acordo com a pesquisadora Maria Regina, as ações de popularização buscam também a preservação da biodiversidade, por meio da distribuição de mudas e sementes para multiplicadores e da correta identificação das hortaliças e de seus usos.

“Essas atividades de resgate têm como foco prioritário espaços de educação, como as Escolas Famílias Agrícolas (EFAs), as escolas rurais, o Centro Estadual de Educação Continuada (Cesec) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além de espaços de comercialização e lazer, como feiras e praças, com ênfase na difusão de conhecimento sobre a importância das plantas, a forma de utilizá-las na alimentação e como cultivá-las”, detalha.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *